Capitães de Areia, de Jorge Amado

Publicidade
  • Cartas à redação

    O livro inicia com cartas enviadas ao Jornal da Tarde pela insatisfação do povo com um grupo de aproximadamente cem garotos, conhecidos por “Capitães da Areia”, que andavam assaltando a cidade. Essas crianças não tinham moradia certa, ou pelo menos não fora localizada, nem o local onde escondiam os produtos roubados que estavam tornando-se diários. A carta enviada pede alguma providencia do juizado de menores e relata o assalto na residência do comendador José Ferreira. 

    Publicidade

    Trapiche 

    Este capítulo, relata a formação do grupo dos meninos assaltantes, conta a historia de Pedro Bala, que torna-se um dos personagens principais, passando a ser o líder, tem o cabelo loiro e uma cicatriz de navalha no rosto que ganhou após uma luta em que venceu Raimundo, o antigo comandante do bando. Seu pai era conhecido como Loiro e liderara uma greve no porto, onde foi assassinado por policiais.

    Noite dos Capitães da Areia

    Publicidade

    Este capitulo é dedicado a descrição de cada um dos personagens que formavam o grupo dos capitães da areia. O grupo era composto por cerca de cem meninos o livro cita João Grande como negro bom entrou para a equipe com apenas 9 anos, Volta Seca, seu desejo de tornar-se cangaceiro era enorme, tanto que depois entrou para o grupo de Lampião transformando-se em um cruel assassino, uma de suas características também era o ódio pelas autoridades, havia também João José que passou a ser conhecido como Professor por gostar muito de ler, Professor roubava livros mas nunca os vendia, era fascinado e cuidava muito bem de seus livros. Outro componente do grupo era o conquistador Gato que vivia entre prostitutas e consegue conquistar uma delas. Sem-Pernas não tinha uma perna, era o espião do grupo, sua estratégia era fingir-se de órfão para ganhar a confiança das famílias e passar informações para o grupo sobre as casas, Sem-Pernas passa por um grande conflito após ser acolhido por um casal que perdera um filho pequeno a pouco tempo, fica na dúvida se poupa a família de ser roubada ou se mantem-se fiel ao seu grupo e acaba escolhendo os capitães da areia. Pirulito, apesar de fazer parte dos capitães da areia tinha vocação religiosa, um menino magro, amarelado, olhos fundos e pouco risonho. A única mulher do grupo era Dora, esbanjava simplicidade e beleza, uma menina muito doce,  tinha quatorze anos,  é ela que representa a figura de mãe e irmã para os capitães da areia, já que esse papel é oculto na vida dos meninos., para  Pedro Bala representa sua “noiva” e  “esposa”, tem um final trágico quando morre após ter uma febre muito forte, então seu corpo é levado ao mar com a ajuda de padre José Pedro, que, mais uma vez indo contra a lei e a moral estabelecidas, decide ajudar os meninos do Trapiche. 

    O Ponto das Pitangueiras

    Apresenta o primeiro trabalho dos meninos arranjado pelo Querido-de-Deus, Pedro Bala, João Grande e Gato deveriam trocar os embrulhos, dentro de uma casa, sem que fossem pegos, logo realizam a operação com sucesso principalmente na hora de negociar.

    Publicidade

    As Luzes do Carrossel

    Neste capítulo, participam Sem-Pernas e Volta Seca, que ajudam Nhozinho, dono de um carrossel recém chegado à cidade, os meninos se dispõem a ajuda-lo a montar o carrossel, depois chegam a usá-lo, é onde pode-se perceber a infância que eles não tiveram.

    Docas

    Publicidade

    Esse episódio tem inicio em um bar onde João de Adão conta a história de seu pai, que fora assassinada em uma revolta, para Pedro Bala. Mais tarde quando Pedro Bala está voltando para casa encontra uma menina e “brinca” com ela na praia.

    Aventura de Ogum

    A policia pega um orixá chamado Ogum e Don’Aninha pede para os meninos recuperarem, mas ao executar o plano Pedro Bala é preso e para sair inventa uma história, conta que é filho de um dos descarregadores do navio, e que está lá só de passagem. Ele é liberado e ao sair da cadeia, pega a imagem.

    Deus Sorri Como um Negrinho

    O episódio inicia-se quando Pirulito, o menino com vocações religiosas, fica olhando para uma loja de Cristo que está com defeito, a vontade de roubar é enorme, mas no momento da indecisão fica pensando como sua vida é cheia de pecados, e ao mesmo tempo pensa que não tem escolha de como viver e acaba roubando.

    Família

    Sem-Pernas fingindo quere um emprego chega à casa de uma família que o acolhe de braços abertos, pois tinham perdido um filho de nome Augusto, mas o objetivo do garoto era descobrir onde a família guardava suas riquezas. Porém Sem-Pernas gosta da casa, mas nada pode fazer, já que a esta altura do campeonato esta envolvido demais com seu grupo. Apesar de terem roubado tudo, a família só deu falta do garoto, pois já tinham se apegado muita a ele.

    Manhã Como um Quadro

    Neste episódio Professor e Pedro Bala andam pela cidade em busca de alguns trocados. Como Professor gostava e desenhava muito bem, faz desenho de pessoas na rua, até que um homem reconhece seu talento e o convida a participar de uma escola de desenho dando seu cartão.

    Alastrim

    A população da Bahia, principalmente as pessoas pobres, estavam sendo tomadas pela varíola, popularmente conhecida como bexiga. Dois capitães pegam a doença, um morre, e Boa-Vida vai para um lugar onde os que possuem a doença eram mandados, também era o lugar onde ninguém quer ir, o Lazareto, porém a população é avisada a entregar todos os que contraíram a doença . O padre é fortemente advertido pelo bispo depois de ser descoberto que ele estava escondendo que um dos capitães da areia possui a doença.

    Destino

    Pedro Bala e uns poucos meninos do grupo vão para um bar, onde são desrespeitados, Gato diz que dessa vez vão consumir, para conseguirem o respeito, mas o que leva as pessoas a os respeitarem é o fato de João de Adão dizer que Pedro Bala é filho Loiro, assim que conheciam o pai de Pedro Bala, que lutou pelo povo.

    Filha de bexiguento

    Dora e Zé Fuinha ficam sozinhos, pois sua mãe morreu há poucos dias de alastrim, seu pai já havia morrido antes, com isso Dora vai junto com Zé Fuinha, para procurar emprego, mas ninguém quer dar emprego para alguém cujos pais morreram por causa do alastrim, uma mulher até da um dinheiro para Dora por pena da menina.

    Acaba que Dora é encontrada pelos João Grande e Professor, que levam a menina pra o trapiche, ao chegarem arma-se uma enorme confusão, pois no grupo só tem meninos e a chegada de Dora causa muita confusão, mas depois de uma longa conversa acabam aceitando ela no grupo.

    Dora, mãe

    Com o passar do tempo Dora foi bem aceita pelo grupo. Agora todos viam na jovem menina uma mãe, onde ela cuidava dos outros meninos e dava amor e carinho de mãe a todos eles, que passaram a respeitá-la e a dar carinho também.

    Dora, irmã e noiva

    Dora decide que vai junto com o grupo roubar as coisas, pois não acha justo que eles a alimentem, e está decidida, nada vai mudar a sua decisão.

    Pedro Bala arruma briga com os meninos do grupo de Ezequiel, um grupo de meninos rivais aos capitães da areia, que dão uma surra em Pedro Bala, o que leva ele a voltar para o trapiche, onde estava apenas Dora, assustada com os ferimentos cuida dele e acaba o beijando nos lábios feridos.

    Os dois deitaram-se na areia e Dora diz a Pedro Bala que ele é noivo dela, mesmo sem saber o que é amar os dois se sentem apaixonados.

    Pedro Bala junto do grupo combinou de dar uma lição no grupo de Ezequiel, e fizeram, foram atrás dos garotos e deram uma surra neles para se vingar do que tinham feito com Pedro Bala.

    Reformatório

    Em uma tentativa de assalto alguns meninos do grupo são presos, entre os presos está Pedro Bala, Dora, João Grande, Sem-pernas e Gato. Mais no momento de uma foto João Grande, Sem-pernas e Gato conseguem fugir dos policiais e da delegacia, ficando apenas Pedro Bala e Dora.

    Dora é levada para o orfanato e Pedro Bala para o reformatório, onde ficou dias em uma cafua com pouca água e quase nada de comida, até que pode ir para um quarto, onde vários outros meninos dormiam também.

    Pedro Bala consegue contato com os meninos de seu grupo, que arrumam corda para que ele possa fugir, o que ele faz durante uma noite.

    A noticia sai nos jornais, o chefe dos capitães da areia fugiu do reformatório.

    Orfanato

    Ao fugir do reformatório Pedro Bala vai atrás de Dora no orfanato, os meninos invadem o local com facilidade e levam Dora, que mesmo estando ardente em febre diz que vai embora do local com o grupo.

    Noite de grande paz

    Durante a noite a mãe de santo Don’Aninha vai até o trapiche para tentar curar Dora da febre, enquanto ela tenta espantar a febre da menina uma grande paz reina no trapiche.

    Dora, esposa

    A mãe de santo Don’Aninha vai embora, a febre de Dora não passa, ela chama Pedro Bala para perto dela, diz que já não é mais menina, agora já é moça, e pede a ele que a faça sua mulher, colocando a mão do menino sobre seu peito. Ele tentou se recusar, mas cedeu aos desejos dele e da menina, após se entregarem aos seus desejos foram dormir.

    Pedro Bala acordou no meio da noite, viu que Dora estava gelada, não tinha mais pulsação, então deu um grito que atravessou todo o trapiche, aos poucos os outros meninos foram acordando e viram que Dora estava morta.

    Querido-de-Deus leva o corpo de Dora para o mar, onde será jogado.

    Como uma estrela de loira cabeleira

    Sem se conformar com a morte de Dora, Pedro Bala vai atrás da pequena embarcação de Querido-de-Deus, que o salva quando já está voltando. Pedro Bala pensa em Dora como uma estrela, e a procura pelo céu.

    Vocações

    Esse capítulo começa a contar um pouco do fim de cada um dos capitães da areia, pouco tempo depois da morte de Dora, conta o que alguns dos meninos começam a fazer para mudar de vida e ganhar dinheiro, alguns saem do grupo e vão para outros lugares.

    Canção de amor da vitalina

    Este é um dos últimos roubos que alguns integrantes do grupo vão realizar na história, onde entram na casa de uma solteirona que tem muito dinheiro por ser a ultima herdeira de uma família rica.

    Na rabada de um trem

    Gato e Volta-seca são mais dois que saem do grupo. Gato vai para Ilhéus com Dalva, tentar ganhar a vida por lá, passando a perna nos grandes fazendeiros de cacau. Volta-seca vai o cangaço, se juntar com seu padrinho Lampião, onde consegue chegar e se juntar ao grupo de cangaceiros.

    Como um trapezista de circo

    Sem-pernas tenta entrar numa casa para roubar, mas dali havia muitos guardas que vão atrás dele, e por conta de seu problema na perna não consegue correr muito, até que sobe em um muro e se joga, por preferir a morte a se entregar a polícia, caindo no chão, esse foi seu fim.

    Noticias de jornal

    Uma série de noticias de jornal faz referência aos meninos que deixaram o bando, como Gato, Volta-seca e de Professor, que ficou famoso no Rio de Janeiro por uma exposição de seus quadros.

    Companheiros

    Um grupo quer fazer uma greve e chama os capitães da areia para ajudarem, impedindo de haver furos na greve. Os meninos conseguem fazer com que a greve aconteça.

    Os atabaques ressoam como clarins de guerra

    Depois da greve, o estudante que pediu a ajuda dos meninos continuou a ir visitá-los no trapiche.

    Com o tempo Pedro Bala percebe que algo o chama, algo maior do que furtar objetos para sobreviver, então deixa o grupo e vai em busca de sua missão, ser igual ao seu pai.

    …Uma pátria e uma família

    Pedro Bala vira um militante proletário. Com isso sua vida não mudou muito pois continuou a fugir da policia, a diferença era que agora ele defendia as pessoas que precisavam de alguém que falasse por elas, e Pedro Bala era essa pessoa.

    Final dos Meninos

    Pedro Bala – Vira Grevista

    João Grande – Vira marinheiro

    Dora – Morre

    Professor – Vira Pintor

    Pirulito – Entra para um seminário

    Sem-Perna – Morre

    Volta-seca – Vira cangaceiro

    Boa-Vida – Vira músico

    Gato – Vira gigolô

    Análise

    Aparece o homossexualismo com os meninos que adquirem muito carinho uns pelos outros, já que eles viviam sós.

    Desigualdade social, já que apenas os pobres morriam de varíola.

    As crianças abandonadas pela sociedade, mostrado pelo abandono e só o padre as ajuda

    O determinismo do meio mostrado pelo abandono que os torna ladrões.
    null